domingo, 10 de maio de 2009

RELAÇÕES ANAIS

Volto ao assunto por conta de vários e-mails.
Por exemplo:
Miriam, 32 anos, empresária – Dr. Carrion gostaria que pudesse falar um pouco sobre sexo anal. Os homens que me relacionei e os que várias amigas se relacionam, querem ter relações anais. Não morro de amores por este tipo de relação, embora algumas tenham sido muito agradáveis em muitas outras elas foram dolorosas e acho muito desagradável quando o pênis do homem aparece com marcas de fezes.
A pergunta é: O que fazer?
Miriam, quanto ao gostar, ou não, nada a fazer, é uma questão de gosto individual. Mas existem algumas regras que podem tornar estas relações mais prazerosas, ou pelo menos, não dolorosas.
DO HOMEM -
Não deve ser um bem dotado, pelo menos de calibre.
Não pode ser um apressado.
Não deve pensar no ânus como se fosse uma vagina apertada, portanto comportamento tipo desentupidor de pias está descartado.
Deverá usar sempre um lubrificante íntimo e camisinha.
Deverá aceitar que a mulher não quer e não ficar aporrinhando-a.
Se, na hora da penetração, ela se queixar de dor, deve parar de imediato.
DA MULHER –
Deve estar relaxada; numa posição confortável, de lado parece ser a mais indicada.
Não deve estar com vontade de ir aos pés, ou com diarréia, ou haver ingerido comidas picantes nas últimas 24 horas.
Deve fazer o homem respeitar o seu ritmo. Ou seja. Usando um creme começa fazendo carícias nas bordas do ânus. Depois o penetra lentamente com um dedo e, posteriormente, com dois. Esta penetração, além de lenta, deve ser feita em etapas, com idas e vindas bem vagarosas. Ensine-o que se sentir qualquer resistência muscular deverá esperar que esta se desfaça antes de progredir. Em caso de dor deve parar e só tentar alguns dias depois.
Correndo tudo bem, repetem as mesmas manobras com o pênis.
Se for um pênis longo, evitar o “enterrar até o talo”.
Fazendo tudo isto, espero que cheguem ao “enjoy it”.